Hospital e médico são responsabilizados por morte de recém-nascido no extremo oeste catarinense

09/10/2017

Por Redação: 09/10/2017


Um  hospital do extremo oeste do Estado e médico obstetra foram condenados pela 2ª Câmara de Direito Público do TJ ao pagamento de indenização em favor de pais de bebê que morreu em decorrência de complicações durante o parto. O casal receberá R$ 100 mil por danos morais, valor indenizatório adequado pela câmara. A condenação é solidária entre os réus.


A alegação do profissional de que a causa da morte seria o cordão umbilical envolto ao pescoço do recém-nascido não convenceu o tribunal, uma vez que, segundo o conjunto probatório dos autos, o bebê já estaria pronto para nascer quando a mãe deu entrada no hospital. “Ora, diante de tudo o que foi descrito, não há dúvidas que houve negligência médica por parte do réu, caracterizada pelo prolongamento injustificado do parto”, anotou o desembargador relator da matéria.


Fonte: TJSC


Imagem Ilustrativa do Post: Karolina’s Birth // Foto de: Nadia Santoyo // Sem alterações


Disponível em: https://www.flickr.com/photos/nlizbet/238693511


Licença de uso: http://creativecommons.org/licenses/by/4.0/legalcode

O texto é de responsabilidade exclusiva do autor, não representando, necessariamente, a opinião ou posicionamento do Empório do Direito.

Sugestões de leitura