Circular com trajes íntimos em barreira sanitária é considerado humilhante, decide TST

12/10/2017

Por Redação: 12/10/2017


Uma fábrica do ramo alimentício foi condenada pela  Sexta Turma do Tribunal Superior do Trabalho a pagar R$ 5 mil a uma trabalhadora obrigada a transitar em trajes íntimos na barreira sanitária, no qual os empregados têm de retirar todas as roupas e vestir os uniformes para evitar a contaminação dos alimentos.  


Segundo a decisão, a exposição da trabalhadora, total ou parcialmente desnuda, para cumprimento desse procedimento obrigatório de higienização representa dano moral ao trabalhador.


Em defesa, a empresa informou que é uma indústria de alimentos com alto controle de qualidade e que segue todas as exigências do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento. Segundo a empresa, a trabalhadora foi informada durante a entrevista de emprego sobre as condições de trabalho, os procedimentos básicos de higiene e a importância de segui-los.


Confira o processo.


 


Fonte: TST


Imagem Ilustrativa do Post: Friday: 296 // Foto de: Gabriel  // Sem alterações


Disponível em: https://www.flickr.com/photos/120663298@N03/14040326433


Licença de uso: http://creativecommons.org/licenses/by/4.0/legalcode

O texto é de responsabilidade exclusiva do autor, não representando, necessariamente, a opinião ou posicionamento do Empório do Direito.

Sugestões de leitura