Carreta da justiça garante acessibilidade para casamento

13/02/2018

Na sexta-feira (9) a carreta do Poder Judiciário do Estado do Mato Grosso do Sul realizou o atendimento a mais uma cidade, o município de Guia Lopes da Laguna. Dentro todos os serviços prestados, um chamou atenção: o casamento com acessibilidade realizado pelo caminhão.


Ela de vestido branco, ele de terno e, claro, com a noiva, o tradicional buquê de flores. O casal João Guedes de Andrade e Maykeli Lopes Vera Braga puderam selar os laços matrimoniais graças, também, a acessibilidade da carreta, que contava com um piso completamente nivelado e acesso por elevador. Além disso, o serviço ofertado pelo poder judiciário é totalmente gratuito.


Segundo o noivo em entrevista do portal do Tribunal de Justiça do Matro Grosso do Sul (TJMS), “nós fomos muito bem atendidos pela equipe da Carreta, que me auxiliou a subir para realizar o casamento”. Ele afirmou, ainda, que buscou o serviço do Judiciário pela facilidade e por ser gratuito.


 


Confira o calendário do primeiro semestre da carreta da justiça:


 


“Após uma pausa nas próximas duas semanas, a Carreta da Justiça segue rumo à comarca de Caracol para atender a população no período de 26 de fevereiro a 2 de março. Em seguida, de 5 a 9 de março será a vez de Antônio João, seguido de Aral Moreira, de 12 a 16 de março. Em abril, terão os atendimentos da unidade móvel Coronel Sapucaia (02 a 06/04), Paranhos (09 a 13/04) e Tacuru (16 a 20/04).


Em maio, a Carreta da Justiça atenderá os munícipes de Rochedo (7 a 11/05), Corguinho (14 a 18/05) e Paraíso das Águas (28 a 30/05). E para finalizar os atendimentos nos primeiros seis meses, serão atendidas as comarcas de Jaraguari (4 a 08/06), Alcinópolis (18 a 22/06) e Figueirão (25 a 29/06).”


 


Fonte: TJMS


 


Imagem Ilustrativa do Post: s-6086  // Foto de: 阿男 婚禮記錄 0935565375 // Sem alterações


Disponível em: https://flic.kr/p/VQk6fF


Licença de uso: http://creativecommons.org/licenses/by/4.0/legalcode

O texto é de responsabilidade exclusiva do autor, não representando, necessariamente, a opinião ou posicionamento do Empório do Direito.

Sugestões de leitura