FORMOSA ÉS TU, ARACAJU

30/10/2019

Coluna Direito e Arte / Coordenadora Taysa Matos

Ó minha Aracaju!

És bela e formosa,

Pequenina e tão graciosa,

Amada és tu.

 

Em teu seio, permaneço.

Aonde quer que vá,

De lá, mando-te beijos.

 

Ah... a saudade deita-se em meu peito.

 

Nas praças, boas conversas.

Às portas, um eterno prosear.

Nas praias, delícias a degustar.

Como não te amar?

 

Aqui nasci, aqui me firmei.

Aqui me fiz mulher,

Aqui morrerei.

 

Em teus braços, sou para sempre criança.

E faço dos seus encantos eternas lembranças de minha infância.

 

Abraças quem em ti tem raízes

E acolhes aqueles oriundos de quaisquer cidades e países.

 

Ó minha Aju, podes crescer,

O mal forasteiro aparecer

Mas a tua beleza há de permanecer.

 

Amo-te e amar-te-ei por todo o meu viver!

 

Viva Aracaju,

Terra boa do meu bem querer!

 

Imagem Ilustrativa do Post: Meio Expediente // Foto de: Marcio Ramalho // Sem alterações

Disponível em: https://www.flickr.com/photos/caneladeurubu/7002931004

Licença de uso: https://creativecommons.org/publicdomain/mark/2.0/

O texto é de responsabilidade exclusiva do autor, não representando, necessariamente, a opinião ou posicionamento do Empório do Direito.

Sugestões de leitura