4 segredos para identificar um mentiroso - Por Mario Porto

04/11/2017

Alguns segredos sobre a linguagem corporal podem não ser tão surpreendentes, mas aprender a usá-los transformará a sua vida do dia para a noite. 


Ao dominar as técnicas da leitura da linguagem corporal, você terá uma espécie de poder bem similar à leitura de pensamentos. Não, eu não estou exagerando. Leia atentamente até o final para entender como isso funciona.  


No outro artigo que escrevi sobre linguagem corporal  “Descubra como ser respeitado por qualquer pessoa usando sua linguagem corporal“ (veja AQUI) , o assunto foi mais focado no âmbito profissional e empresarial para apresentações de discursos, reuniões e como se portar frente aos outros. 


Já aqui.... 



Foto original: www.notibras.com


...você descobrirá como funciona a linguagem corporal em nosso cérebro e melhor, como funciona a identificação, como poder ler as pessoas e saber o que elas querem e o que acontecerá mesmo que não falem uma só palavra.



Foto original: theblaze.com      


Na foto é possível observar a intenção de Trump, uma inclinação na direção de sua esposa e o distanciamento de Melania Trump, enquanto ela coloca um sorriso deliberado (falso), ela aponta uma direção para finalizar o cumprimento na intenção de que ele saia de perto. 


Se você é um advogado, o quão bom seria saber se seu cliente, uma testemunha e a outra parte estão mentindo?


O quão importante é saber entender alguém com quem está prestes a fechar uma parceria; o dono do carro ou apartamento que está comprando; seu cônjuge; seus filhos; funcionários; chefes...


Se é um vendedor, como seria bom e proveitoso saber exatamente o momento certo de oferecer o produto, dizer o preço, entregar a caneta, estender as mãos para fechar negócio?


Imagine um mundo onde a sua observação seria como uma espécie de legenda imaginária dizendo o que cada um sente e pensa, sem precisar que palavras sejam ditas. 


Praticamente a todo momento nosso corpo reage involuntariamente à pensamentos, ações, palavras e estímulos externos. Essas reações, quando involuntárias (inconscientes) expõem verdades queira você escondê-las ou não. Nosso corpo está programado para agir assim, não somente pela nossa própria experiência de vida, como também pelas experiências de nossos ancestrais, pois essa é uma característica biológica da nossa evolução.


1-  Acredito que esse seja o primeiro segredo: 


“Todas as reações involuntárias do nosso corpo, movimentos, gestos, caretas, posturas, sons vocais e até mesmo as reações internas como aumento da temperatura e do batimento cardíaco, enjoos, frio na barriga e outros, acontecem graças às nossas e às experiências de nossos ancestrais, principalmente quando se trata de contrações dos músculos faciais. 



darwinproject.ac.uk


Pode parecer um assunto muito louco, mas louco pareceu Darwin, ao falar disso há mais de 100 anos. Ele foi o primeiro a dizer que nossos músculos faciais reagiam à algumas emoções de formas exatamente iguais independentemente da sua cultura. Veja em: A Expressão das Emoções no Homem e no Animal – Charles Darwin. 


E por sua vez, ao tentar provar que Darwin estava errado, no século seguinte, o Ph.D Paul Ekman acabou por obter um resultado diferente do que esperava. Descobrindo que na verdade Darwin estava certo de sua teoria. Sua história, estudos e a ciência por trás das micro expressões faciais podem ser vistas no livro A Linguagem das Emoções – Paul Ekman. 



Paulekman.com 


Mas saiba que da mesma forma que reagimos assim inconscientemente, também podemos identificar essas reações e gerar significados e representações, voluntaria ou involuntariamente.


Sabe aquela história de: “hummmm, meu santo não bateu com essa pessoa”? Pois é, provavelmente, seu subconsciente identificou inúmeras expressões corporais, faciais e de paralinguagem a ponto de criar uma má impressão, contudo, você não sabe explicar o real motivo. 


Já é comprovado que nascemos identificando gestos, posturas e expressões faciais. Graças a evolução, que nos deu um banco de dados subconsciente, às experiências de vida, ao que aprendemos (em um curso, por exemplo) e se soubermos o que devemos e para onde devemos olhar, nosso poder de identificação fica cada vez maior e com o tempo absolutamente nada passará despercebido.


2- Temos então nosso segundo segredo: 


“Identificar as expressões faciais, corporais e demais linguagens corporais é sim uma técnica que pode ser aprendida, aprimorada e com o tempo se tornará natural e automática 


Mas o que faz ser realmente possível identificar, por exemplo, as mentiras? 



Quando mentimos, não estamos fazendo isso naturalmente, pelo menos, não é assim que o nosso cérebro responde. Ao mentirmos, nosso corpo direciona sangue para o córtex pré-frontal e para a face. Outras reações involuntárias podem acontecer em paralelo, como movimento involuntário do/s ombro/s, pupilas dilatadas, afinamento da voz entre outros.


A grosso modo, nós não temos ciência, muito menos controle sobre todos os movimentos e reações do nosso corpo quando contamos uma verdade, por esse motivo, ao mentir, o seu cérebro está respondendo conscientemente somente a poucos movimentos implantados deliberadamente ou às palavras que você proferir. Todo o resto ele reage completamente diferente do que se tivesse contando uma verdade.


Ex: Digamos que você é questionado quanto ao roubo de uma carteira e você não tenha sido o responsável.


Suas reações primitivas, involuntárias e de resposta rápida, seriam: 


- Susto


- Raiva


- Aversão


- Indignação


- Posicionar-se à frente (como ataque)


- Uma frase de poucas palavras comprovando que não foi você


- Não se preocupar em manter contato visual


- Não dar tanta importância caso considere um absurdo muito grande


-..... 


Caso você tivesse culpa, provavelmente você não teria tempo suficiente para pensar em todas essas reações exatamente dessa forma, e o pior, no lugar de algumas delas, o seu corpo faria exatamente o contrário, pois seu cérebro está acostumado e automatizado à tal, por exemplo: 


- Susto


- Medo


- Raiva


- Desprezo


- Posicionar-se para trás (mesmo que depois tente inventar outra reação)


- Querer dar milhões de detalhes


- Acrescentar fatos desnecessários à justificativa


- Repetir a pergunta do acusador


- Manter contato visual para ver se a mentira está sendo suficiente


-... 


Quando se é inocente, você não se preocupa com detalhes, você não precisa se justificar, você sente raiva e provavelmente aversão (nojo) da pessoa por te acusar. Enquanto o culpado começa a querer ganhar tempo para elaborar sua mentira, além do medo querendo aparecer e provavelmente sentindo desprezo (emoção muito comum em pessoas que cometem algo ilícito e acreditam que podem escapar impunes ou por que desmerecem o acusador por acreditarem que jamais serão pegas, com o sentimento de satisfação). Outra questão, nosso cérebro sabe que se culpados, podemos sofrer consequências, então normalmente, a tendência é uma ação imediata de se afastar, recuar como instinto de proteção/preservação. 


3 e 4 - E assim finalizamos com nossos dois últimos segredos: 


Nós não temos ciência de tudo o que faríamos exatamente caso estivéssemos falando a verdade. O que faríamos com a mão, pés, pernas, braços, tronco, olhos, palavras e muito menos temos o controle das reações fisiológicas como aumento da frequência cardíaca, dilatação da pupila, aumento do fluxo sanguíneo no rosto etc.” 


“Nosso cérebro responde com reflexos físicos muito antes de tentarmos elaborar a reação que acreditamos ser uma reação de uma pessoa inocente, nesse momento muita coisa é mostrada sem a nossa vontade. Basta ficar atento para achar a incongruência (a falta de combinação do que é falado com o que é mostrado).” 


Um erro clássico é quando a pessoa fala não e balança a cabeça para cima e para baixo. A palavra diz “NÃO” e o corpo diz “SIM”! 


Mario, ok! Entendi, mas e se treinar? E se a pessoa estiver esperando pela acusação? E se....? Todos esses “e se” existem, e podem sim dificultar a identificação, porém, ainda assim, de alguma forma, algo passará. E quanto maior for o seu treino, mais difícil será para a outra pessoa te enganar. De todo modo, a micro expressão facial, como uma das ciências da linguagem corporal está muito acima de qualquer gesto. Pois implementar gestos e posturas onde não deveria ter é relativamente fácil, porém conseguir esconder micro expressões (que tem velocidade inferior a 0,5 segundo) é praticamente impossível (caso você não seja um psicopata). Mas vamos deixar a micro expressão para um outro momento!!! 


Caso tenha chegado até aqui, parabéns! E que bom! Agora você entende como funciona a leitura da linguagem corporal. Se quiser saber ainda mais ou até mesmo se aprofundar nesses estudos, BASTA CLICAR AQUI. 


E você, consegue identificar mentiras? Como você faz? Em que ocasiões acontece com mais frequência? Me conte alguma história, elas são sempre ótimas!!!


 


Imagem Ilustrativa do Post: face // Foto de: jasejc // Sem alterações


Disponível em: https://www.flickr.com/photos/19981496@N08/3154983173


Licença de uso: http://creativecommons.org/licenses/by/4.0/legalcode

O texto é de responsabilidade exclusiva do autor, não representando, necessariamente, a opinião ou posicionamento do Empório do Direito.

Sugestões de leitura