A INFLUÊNCIA DO TWITTER NAS RELAÇÕES INTERNACIONAIS CONTEMPORÂNEAS

01/10/2019

O escopo do presente artigo é demonstrar a relevância das Redes Sociais, em especial, o Twitter, para as ações pertinentes à diplomacia e às relações internacionais, de modo a colocar em foco os perfis de Estados e de representantes políticos e os efeitos oriundos das falas proferidas através de esse aplicativo em um mundo globalizado.

A diplomacia, em um contexto hodierno, acaba utilizando de meios digitais para ser elaborada, recebendo interferências, em esse contexto, que até pouco não eram comuns. Logo, a justificativa para o desenvolvimento da pesquisa está na importância do assunto, não somente para o ordenamento brasileiro, mas também para o Direito em escala global, considerando as mudanças ocorridas através de uma evolução tecnológica neste ínterim.

Assim, para a criação do artigo abraçar-se-ão os métodos indutivos e dedutivos, de modo alternado, em razão da complexidade do tema, em que a produção do saber jurídico estará justificada, não somente na identificação de um fenômeno a fim de percebê-lo e chegar em uma conclusão geral, mas, também, na crítica e opinião dos doutrinadores de Direito Internacional, bem como nas notícias relacionadas ao Twitter e diplomacia.

Contudo, é fundamental mencionar que o objetivo do presente artigo é analisar as redes sociais de aplicativos de relacionamento na internet, networking social, neste caso, o Twitter, e não as redes sociais em lato sensu, que referem-se às conexões da sociedade de modo geral. Far-se-á, assim, uma análise da Diplomacia Digital em esta rede fundamentada em conceitos de transnacionalidade.

 

CONTEXTUALIZAÇÃO HISTÓRICA

Na década de 1990, a internet começou a tomar forma surgindo as primeiras redes sociais.Cita-se, nesse sentido, o GeoCities, surgido em 1994, com os primeiros traços das redes sociais como conhecemos hoje. O objetivo dessa plataforma era disponibilizar ferramentas para que os usuários criassem as suas próprias páginas conforme as suas localizações.[1]

Não obstante, após a virada do milênio, houve um desenvolvimento significativo da internet, aumentando o número de pessoas interessadas em redes sociais. Com isso, surgiram uma infinidade de serviços cibernéticos visando conectar quem estivesse registrado em seus bancos de dados, diminuindo as barreiras físicas. É nesse momento que aplicativos como Fotolog e MySpace ganham espaço.[2]

Dessarte, Jack Dorsey, Evan Williams e Biz Stone criam o Twitter, em 2006, com a ideia de torná-lo uma rede que possibilite entre os usuários o compartilhamento de pequenas mensagens de modo instantâneo. A ideia surgiu de Dorsey durante um brainstorming em que era discutido sobre um serviço online de trocas de status. Segundo o site Tecmundo, uma das principais ferramentas “do Twitter não foi lançada logo no começo. Os Trending Topics (ou tópicos da moda, em tradução livre) trazem os assuntos mais discutidos no mundo do Twitter naquele momento.”[3]

Nos primeiros meses de 2009 o Twitter cresceu demasiadamente, observando-se um aumento de usuários fora dos Estados Unidos, sendo o português o segundo maior idioma utilizado na Rede, ademais de os brasileiros serem os terceiros mais presentes na plataforma, atrás dos EUA e Inglaterra.[4]

Hodiernamente, o Twitter é uma rede social de extrema importância no mundo virtual. Em 2018, o site Itmídia divulgou que o número de usuários ativos era de 336 milhões, demonstrando a relevância dessa ferramenta. Dentre esses usuários ativos, encontram-se alguns representantes de Estados, tais como: Emmanuel Macron; Donald Trump e Nicolás Maduro.[5]

Ainda sobre a importância do Twitter como ferramenta social, cita-se a enquete feita pelo site Mobilização Digital, em 2013, que constatou que a maioria das pessoas que acompanham as Manifestações Sociais informam-se via mídias sociais, tais como o Facebook e Twitter.[6]

Pode-se inferir, portanto, que o ciberespaço[7] tornou-se fundamental nas “Novas revoluções” políticas contemporâneas, tornando-se uma nova ferramenta em um contexto hodierno para os câmbios sociais em um contexto global, oportunizando um livre acesso a informação de forma simples, o que justifica a preferência popular pela utilização da internet e suas mídias para a  tomada de ciência das notícias atuais.[8]

 

TRANSNACIONALIDADE

A transnacionalidade é apresentada como um novo arquétipo social que aproxima os povos e culturas, através de relações econômicas e de comunicação. Conforme Stelzer, com o aumento da comunicação em escala global ocorrida após a Primeira e Segunda Guerra Mundial, ademais dos câmbios econômicos entre pessoas de localidades distintas, geograficamente falando, ocorre a quebra de barreiras físicas e territoriais, que ocasiona a primordialidade de um novo ordenamento para regrar as relações sociais vigentes[9]. Essa concepção, levando em consideração a relação com a Modernidade Líquida[10], gera uma relativização do Estado, conforme Habermas demonstra em seu livro, a Inclusão do Outro.[11]

O conceito de direito transnacional, segundo o professor Bruno Smolarek Dias, Doutor pela Universidade do Vale do Itajaí, fundamenta-se na ideia de uma sociedade construída de modo multicultural e cambiável, no qual existe a necessidade de repensar o papel do Estado e do Direito. Segundo Dias, faz-se “uso do Direito Transnacional para demonstrar a possibilidade do reconhecimento de uma Comunidade Internacional de cunho Universal.” Portanto, para o autor, a transnacionalidade define-se como o fenômeno em que os Estados Nacionais ultrapassam os limites de território.

Conforme Smolarek Dias, essa relativização não exclui o ente estatal, apenas o coloca em planos reduzidos ou concorrendo com os demais atores transnacionais, como ONGs, empresas transnacionais, dentre outros. Assim, as redes sociais merecem destaque nesse contexto, principalmente o Twitter, por possibilitar o processo de transnacionalidade, fazendo conexões para  diálogo e câmbios culturais entre os indivíduos de diversas localidades geográficas, de modo objetivo e acessível, quebrando as barreiras fronteiriças das Nações. 

“The Internet, especially, which has been defined as “a means of communication that enables the publication, exchange and storage of information” (Westcott, 2008: 3), has become central to public and private communication while contemporary tools, including social media, have brought millions into open conversation spaces. (...) Now unmediated dialogue and information exchange between people from around the world is occurring 24 hours a day, all through the year. The social media provide enormous opportunities and challenges for states and international organizations as they seek to engage with new policy spaces developing around the Internet.” [12]

Portanto, pode-se inferir que as mídias sociais contribuíram para a quebra de barreiras e o fortalecimento de uma comunidade transnacional, ligada através da internet e perfis nas redes.  Uma das redes de maior importância para a comunicação global transnacional é o Twitter, que, de acordo com o Twiplomacy 2015[13], consiste em uma ferramenta essencial para comunicação dos governos e tornou-se um meio de proclamações para a diplomacia digital, através da utilização de mensagens instantâneas e objetivas, facilitando o compartilhamento de informações e a expressão dos ideais de representantes dos Estados.

 

DIPLOMACIA DIGITAL NO TWITTER

Primeiramente, vale ressaltar que diplomacia é o método pelo qual os Estados articulam as suas metas de política internacional e coordenam as suas forças para influenciar o comportamento de outros governos e povos, conforme Olubukola S. Adesina, da Universidade de Ibadan, na Nigéria. Portanto, é o mecanismo central através do qual objetivos, estratégias e táticas de políticas internacionais são concretizadas, visando garantir a paz e a boa vontade nas cooperações entre povos, ou, na sua ausência, a neutralidade. [14]

Logo, diplomacia digital refere-se às práticas diplomáticas entre Estados realizadas através das mídias sociais, a fim de resolver problemas de política externa usando a Internet. Nada mais é, portanto, que a diplomacia convencional realizada por um meio diferente. Através da web, os líderes dos Estados podem estudar e ponderar os assuntos referentes às relações internacionais. Crucialmente, também amplia-se o alcance da comunicação entre membros da sociedade civil, bem como governos e outros indivíduos influentes[15]. Assim, frisam-se exemplos hodiernos de casos onde o Twitter, uma das ferramentas da Diplomacia Digital, foi utilizado no âmbito internacional.

 

QUESTÃO VENEZUELANA

Em 2012, o então presidente venezuelano, Hugo Chávez, anunciou à mídia que estava com câncer e que estava fazendo o seu tratamento em Cuba, no meio deste contexto, requereram-se novas eleições para mais um mandato. Apesar de a oposição ter ganhado espaço neste ano, Chavez permaneceu no poder, contudo, em 2013, foi anunciada a sua morte. Novas corridas presidenciais foram realizadas, elegendo Nicolás Maduro. Nesse sentido, apesar de um aliado do governo anterior ter sido eleito, o país, desde então, encontra-se em crise[16].

Dessarte, países vizinhos, como Brasil e Colômbia, juntamente com os Estados Unidos, começaram a se mobilizar visando conceder ajuda humanitária para a população venezuelana[17], como a doação de medicamentos e de alimentos. Contudo, o governo Maduro vem dificultando tais medidas e recorrendo ao Twitter para justificar os seus bloqueios na entrada de auxílios estrangeiros, alegando que a entrada desses países em território venezuelano seria apenas um pretexto para a sua deposição e abalar a soberania do país.

“La Ayuda Humanitaria es un show para humillarnos y pretende justificar una agresión militar; un plan macabro que no oculta el robo por más de $ 10.000 millones que EE.UU. hace a la Patria. Si quieren ayudar, que cesen el bloqueo, la persecución y la agresión contra Venezuela.”[18]

Ademais, nesse sentido a oposição declarou um novo presidente, Juan Guaidó, reconhecido por mais de vinte países como legítimo[19], que se proclamaram também por perfis no Twitter em apoio ao novo representante venezuelano.

“Paraguay expresa su apoyo al presidente encargado de Venezuela @jguaido Cuenten con nosotros para abrazar de nuevo la liberdad y la democracia.”[20]

“The citizens of Venezuela have suffered for too long at the hands of the illegitimate Maduro regime. Today, I have officially recognized the President of the Venezuela National Assembly, Juan Guaido, as the Interim President of Venezuela.”[21]

“Après l’élection illégitime de Nicolás Maduro en mai 2018, l’Europe soutient la restauration de la démocratie. Je salue le courage des centaines de milliers de Vénézuéliens qui marchent pour leur liberté.”[22]

Após isso, Maduro enviou tanques para as fronteiras, objetivando impedir possíveis invasões em seu território e defender a sua legitimidade no poder. Tal ação foi criticada e denunciada pelo Congressista Américo de Grazia por tuítes.

“El #Usurpador toma militarmente #StaElenaDeUairen para impedir la entrada de la #AyudaHumanitaria a los #Vzlanos. No Obstante los publos Indígenas Pemones de #LaGranSabana junto a la Alcaldia y los Ciudadanos, harán realidad la solidaridad. @jguaido President.” [23]

Portanto, nesse ínterim de crise política e econômica em âmbito internacional nota-se que os perfis dos representantes de Governos no Twitter mostraram-se de suma importância na realização de diversas situações, abalando a diplomacia entre os países por um meio digital, afetando de forma direta às relações internacionais.

 

CANADIAN POLICY

Desde o ano de 2010 o Canadá possui perfis no Twitter utilizados especificamente para publicar sobre as medidas de política estrangeira, divulgando situações que envolvam a diplomacia e as relações internacionais com outros países e a própria população canadense. Entre os principais tópicos abordados nos perfis encontram-se a publicação de eventos entre representantes de Estados, a divulgação de medidas internacionais e a assinatura de tratados e acordos anunciadas para os seguidores.

“Prime Minister Justin Trudeau announces closer collaboration with Japan.”[24]

Além disso, um dos perfis oficiais do país também é utilizado para contactar canadenses vivendo no estrangeiro, como no caso que o governo divulgou pela rede que iria ter a sua embaixada fechada na Venezuela, anunciando um número telefônico para que os seus cidadãos pudessem manter a comunicação em casos de emergência.

“#Venezuela: our embassy in #Caracas will be closed on March 26 due to a power outage, but consular services remain available. Canadian can contact us at sos@international.gc.ca or +58 212 600 3099”[25]

Por conseguinte, nota-se que através desse perfil o Governo Canadense consegue facilitar a publicidade de ações pertinentes a política estrangeira adotada, ademais de concretizar de forma efetiva e inovadora a diplomacia digital. O Canadá mantém diversos perfis na plataforma de conteúdo digital com os objetivos de estabelecer canais de comunicação do governo com a sociedade e de compartilhar informações sobre o cotidiano das Relações Internacionais e Diplomáticas, bem como sobre os principais eventos e iniciativas da política externa brasileira. Utilizando-se do Twitter, abre-se, portanto, um canal para que os civis e outros representantes de Estados acompanhem os atos e a agenda internacional canadense, o que possibilita conhecer melhor os acontecimentos, os programas e as sistematizações da ações estrangeiras do país.

 

CONSIDERAÇÕES FINAIS

Por conseguinte, pode-se concluir por meio do presente artigo, que, apesar de o Twitter preliminarmente ter se apresentado como uma rede social para conectar as pessoas com o fim de lazer e diminuir as barreiras físicas,  como já apresentado anteriormente, hoje a mesma mídia social tornou-se uma ferramenta política internacional para fins diplomáticos, uma vez que abarca uma ampla gama de usuários, facilitando a comunicação objetiva sobre medidas de relações internacionais entre os representantes de Estados e os povos.

Logo, o Twitter cambiou-se como um meio imprescindível para a realização da mobilização digital em sentidos diplomáticos, ocasionando uma relativização territorial, unindo os Estados de modo transnacional. Portanto, essa mídia social acaba sendo usada como um método pelo qual as nações e seus respectivos governantes articulam as suas forças de modo a exercer influência estrangeira.

A fim de aludir de forma mais eficaz neste ínterim, citou-se exemplos hodiernos onde a rede social Twitter foi utilizada na Diplomacia Digital, como no caso do Presidente brasileiro Jair Bolsonaro em relação aos médicos cubanos, que gerou ademais de um impasse na saúde do Brasil, também ocasionou problemas de relações internacionais entre ambos os países; citou-se também, a questão da crise venezuelana e os embates que tiveram esta Rede como cenário no sentido de legitimar o Presidente Guaidó em detrimento de Maduro; logo após, explicou-se o perfil da política estrangeira canadense no Twitter e o seu respectivo uso para fins de política externa; e, por último, ocorreu uma breve análise da influência dessa mídia nas corridas eleitorais.

 

Notas e Referências

ABDO, Marito. Paraguay expresa su apoyo al presidente encargado de Venezuela @jguaido Cuenten con nosotros para abrazar de nuevo la liberdad y la democracia. 23, janeiro, 2019. Twitter: @maritoabdo. Disponível em: /https://twitter.com/MaritoAbdo/status/1088148368193454081/ Acesso em: 01. mai. 2019.

ADESINA, Olubukola. Foreign Policy in an era of digital diplomacy. African Journal for the Psychological Study of Social Issues, Ibadan, 19, 169-189, 2016.

ANPAC. Eleições Parlamentares no Brasil: O Uso do Twitter na Busca por Votos.  Rio de Janeiro, v. 22, n. 4, art. 1, pp. 466-486, julho/agosto, 2018.

AURORA. Uma eleição de ‘piados’ autocentrados: análise do uso do Twitter nas cibercampanhas paulistanas em 2016. São Paulo, v.10, n.30, p. 160-179, 2018.

BAUMAN, Zygmunt. Modernidade Líquida. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2001.

BOLSONARO, Jair. Além de explorar seus cidadãos ao não pagar integralmente os salários dos profissionais, a ditadura cubana demonstra grande irresponsabilidade ao desconsiderar os impactos negativos na vida e na saúde dos brasileiros e na integridade dos cubanos. 14, novembro, 2018. Twitter: @jairbolsonaro. Disponível /https://twitter.com/jairbolsonaro/status/1062751821297532928/ Acesso em: 30. abr. 2019.

BOLSONARO, Jair. Condicionamos à continuidade do programa Mais Médicos a aplicação de teste de capacidade, salário integral aos profissionais cubanos, hoje maior parte destinados à ditadura, e a liberdade para trazerem suas famílias. Infelizmente, Cuba não aceitou. 14, fevereiro, 2019. Twitter: @jairbolsonaro. Disponível em: /https://twitter.com/jairbolsonaro/status/1062736657416364032/ Acesso em: 30. abr. 2019.

BOLSONARO, Jair. De forma irresponsável, Cuba suspendeu sua participação subitamente, colocando em xeque o caráter humanitário do acordo feito com o PT. Oferecemos asilo aos que cidadãos queriam ficar em nosso país. A esquerda mesmo assim poupou a ditadura e colocou na conta do novo Governo. 14, fevereiro, 2019. Twitter: @jairbolsonaro. Disponível em: / https://twitter.com/jairbolsonaro/status/1095995614607880192/ Acesso em: 30. abr. 2019.

BOLSONARO, Jair. Meses atrás exigimos que a ditadura cubana revisse as regras impostas aos profissionais cubanos participantes do Mais Médicos, que recebiam apenas uma pequena parte de seus salários e não tinham liberdade para ver seus familiares. 14, fevereiro, 2019. Twitter: @jairbolsonaro. Disponível em: /https://twitter.com/jairbolsonaro/status/1095995264626843648/ Acesso em: 30. abr. 2019.

BOROSKI. Enquete sobre a influência das mídias sociais. 2013. Disponível em: <https://mobilizacaodigital.wordpress.com/2013/07/06/enquete-sobre-a-influencia-das-midias-sociais/>Acesso em: 12. abr. 2019.

BRASIL. Conheça o Programa. Disponível em:<http://maismedicos.gov.br/conheca-programa>Acesso em: 25. abr. 2019.

CANADA, Government. #Venezuela: our embassy in #Caracas will be closed on March 26 due to a power outage, but consular services remain available. Canadian can contact us at sos@international.gc.ca or +58 212 600 3099. 26, março, 2019. Twitter: @travelgoc. Disponível em: /https://twitter.com/travelgoc/status/1110573423615451137/ Acesso em: 01. mai. 2019.

DE GRAZIA, Americo. El #Usurpador toma militarmente #StaElenaDeUairen para impedir la entrada de la #AyudaHumanitaria a los #Vzlanos. No Obstante los publos Indígenas Pemones de #LaGranSabana junto a la Alcaldia y los Ciudadanos, harán realidad la solidaridad. @jguaido President. 20, fevereiro, 2019. Twitter: @americodegrazia. Disponível em: / https://twitter.com/americodegrazia/status/1098363498172727296/ Acesso em: 01. mai. 2019.

G1. Mais Médicos: 18% das vagas não foram preenchidas e ministério abrirá nova chamada. 2019. Disponível em:<https://g1.globo.com/ciencia-e-saude/noticia/2019/01/15/mais-medicos-18-das-vagas-nao-foram-preenchidas-e-ministerio-abrira-nova-chamada.ghtml>Acesso em: 25. abr. 2019.

G1. Saiba quais países reconhecem Juan Guaidó como presidente interino da Venezuela e quais rejeitam. 2019. Disponível em:<https://g1.globo.com/mundo/noticia/2019/01/23/saiba-quais-paises-reconhecem-juan-guaido-como-presidente-interino-da-venezuela.ghtml>Acesso em: 30. abr. 2019.

HABERMAS, Jürgen. A inclusão do outro: Estudos de teoria política. São Paulo: Loyola, 2002.

IT MÍDIA. Twitter cresce base de usuários e reporta lucro pela segunda vez consecutiva. 2018. Disponível em:<https://itmidia.com/twitter-cresce-base-de-usuarios-e-reporta-lucro-pela-segunda-vez-consecutiva/>Acesso  em: 12. abr. 2019.

MACRON, Emmanuel. Après l’élection illégitime de Nicolás Maduro en mai 2018, l’Europe soutient la restauration de la démocratie. Je salue le courage des centaines de milliers de Vénézuéliens qui marchent pour leur liberté. 24, janeiro, 2019. Twitter: @emmanuelmacron. Disponível em: / https://twitter.com/emmanuelmacron/status/1088377172325216256/ Acesso em: 01. mai. 2019.

MADURO, Nicolás. La Ayuda Humanitaria es un show para humillarnos y pretende justificar una agresión militar; un plan macabro que no oculta el robo por más de $ 10.000 millones que EE.UU. hace a la Patria. Si quieren ayudar, que cesen el bloqueo, la persecución y la agresión contra Venezuela. 08, fevereiro, 2019. Twitter: @nicolasmaduro. Disponível em: / https://twitter.com/nicolasmaduro/status/1093983289952604165/ Acesso em: 30. abr. 2019.

O GLOBO. Cinco problemas da crise na Venezuela. Disponível em:<https://oglobo.globo.com/mundo/cinco-problemas-da-crise-na-venezuela-21135204>Acesso em: 26. abr. 2019.

PETSI. O uso das redes sociais em manifestações. 2018.  Disponível em:<http://www.each.usp.br/petsi/jornal/?p=1906>Acesso em: 24. abr. 2019.

POLITIZE!. Como começou a crise na Vezenuela?. 2019. Disponível em:<https://www.politize.com.br/crise-na-venezuela/>Acesso em: 25. abr. 2019.

SMAAL. A história do Twitter. 2010. Disponível em: <https://www.tecmundo.com.br/rede-social/3667-a-historia-do-twitter.htm> Acesso em: 12. abr. 2019.

SMOLAREK DIAS, Bruno. Direito transnacional e a premissa de uma comunidade internacional universalista / Transnational law and the premise of an universal international community. Revista Brasileira de Direito, Passo Fundo, v. 11, n. 1, p. 68-79, ago. 2015. ISSN 2238-0604. Disponível em: https://seer.imed.edu.br/index.php/revistadedireito/article/view/842/961. Acesso em: 24 de abril de 2019. doi:https://doi.org/10.18256/2238-0604/revistadedireito.v1

TRUDEAU, Justin. Prime Minister Justin Trudeau announces closer collaboration with Japan. 28, abril, 2019. Twitter: @canadianpm. Disponível em: /https://twitter.com/canadianpm/status/1122580450600456192/ Acesso em 01. mai. 2019.

TRUMP, Donald. The citizens of Venezuela have suffered for too long at the hands of the illegitimate Maduro regime. Today, I have officially recognized the President of the Venezuela National Assembly, Juan Guaido, as the Interim President of Venezuela. 23, janeiro, 2019. Twitter: @realdonaldtrump. Disponível em: / https://twitter.com/realdonaldtrump/status/1088146315979251717/ Acesso em: 01. mai. 2019.

TWIPLOMACY. Twiplomacy Study 2015. 2015. Disponível em: <https://twiplomacy.com/blog/twiplomacy-study-2015/> Acesso em: 12. abr. 2019.

VEJA. Crise venezuelana deixa 3,7 milhões passando fome. 2018. Disponível em:<https://veja.abril.com.br/mundo/crise-venezuelana-deixa-37-milhoes-passando-fome/>Acesso em: 26.abr.2019.

[1] SMAAL. A história do Twitter. 2010. Disponível em: <https://www.tecmundo.com.br/rede-social/3667-a-historia-do-twitter.htm> Acesso em: 12. abr. 2019.

[2]  SMAAL. A história do Twitter. 2010. Disponível em: <https://www.tecmundo.com.br/rede-social/3667-a-historia-do-twitter.htm> Acesso em: 12. abr. 2019

[3]  SMAAL. A história do Twitter. 2010. Disponível em: <https://www.tecmundo.com.br/rede-social/3667-a-historia-do-twitter.htm> Acesso em: 12. abr. 2019

[4] SMAAL. A história do Twitter. 2010. Disponível em: <https://www.tecmundo.com.br/rede-social/3667-a-historia-do-twitter.htm> Acesso em: 12. abr. 2019

[5] IT MÍDIA. Twitter cresce base de usuários e reporta lucro pela segunda vez consecutiva. 2018. Disponível em:<https://itmidia.com/twitter-cresce-base-de-usuarios-e-reporta-lucro-pela-segunda-vez-consecutiva/>Acesso  em: 12. abr. 2019

[6] BOROSKI. Enquete sobre a influência das mídias sociais. 2013. Disponível em: <https://mobilizacaodigital.wordpress.com/2013/07/06/enquete-sobre-a-influencia-das-midias-sociais/>Acesso em: 12. abr. 2019.

[7] “O ciberespaço surge como um espaço ocupado por diversos tipos de sujeitos altamente heterogêneos e multifacetados, capazes de utilizar as ferramentas disponíveis pela tecnologia para uma mobilização e organização de tamanho e intensidade antes nunca vista. E é justamente esse veículo que mais se aproxima da ideia da liberdade plena, permitindo a esses sujeitos emitir sua opinião e interagir com outros grupos de forma facilitada. Então abre-se uma brecha para aqueles que não se sentem representados pelo modelo tradicional de comunicação vertical, já que no ciberespaço todas as culturas, disciplinas e discussões se entrelaçam.” PETSI. O uso das redes sociais em manifestações. 2018.  Disponível em:<http://www.each.usp.br/petsi/jornal/?p=1906>Acesso em: 24. abr. 2019.

[8] BOROSKI. Enquete sobre a influência das mídias sociais. 2013. Disponível em: <https://mobilizacaodigital.wordpress.com/2013/07/06/enquete-sobre-a-influencia-das-midias-sociais/>Acesso em: 12. abr. 2019.

[9] SMOLAREK DIAS, Bruno. Direito transnacional e a premissa de uma comunidade internacional universalista / Transnational law and the premise of an universal international community. Revista Brasileira de Direito, Passo Fundo, v. 11, n. 1, p. 68-79, ago. 2015. ISSN 2238-0604. Disponível em: https://seer.imed.edu.br/index.php/revistadedireito/article/view/842/961. Acesso em: 24 de abril de 2019. doi:https://doi.org/10.18256/2238-0604/revistadedireito.v1

[10] BAUMAN, Zygmunt. Modernidade Líquida. Rio de Janeiro: Jorge Zahar, 2001.

[11] HABERMAS, Jürgen. A inclusão do outro: Estudos de teoria política. São Paulo: Loyola, 2002.

[12] ADESINA, Olubukola. Foreign Policy in an era of digital diplomacy. African Journal for the Psychological Study of Social Issues, Ibadan, 19, 169-189, 2016.

[13] TWIPLOMACY. Twiplomacy Study 2015. 2015. Disponível em: <https://twiplomacy.com/blog/twiplomacy-study-2015/> Acesso em: 12. abr. 2019.

[14] ADESINA, Olubukola. Foreign Policy in an era of digital diplomacy. African Journal for the Psychological Study of Social Issues, Ibadan, 19, 169-189, 2016.

[15] ADESINA, Olubukola. Foreign Policy in an era of digital diplomacy. African Journal for the Psychological Study of Social Issues, Ibadan, 19, 169-189, 2016.

[16] Durante anos a política econômica venezuela obteve êxito com as exportações de petróleo como único item de retorno financeiro. Contudo, em 2014, o valor da barril de petróleo começou a cair significativamente, colocando o país em uma situação complicada em relação à economia. O contexto venezuelano já era de escândalos de corrupção e infraestrutura precária, o que fez a população enfrentar sérios problemas quando o governo resolveu adquirir dívidas públicas e imprimir mais dinheiro, pois tais medidas apenas dispararam a inflação. Fonte: POLITIZE!. Como começou a crise na Vezenuela?. 2019. Disponível em:<https://www.politize.com.br/crise-na-venezuela/>Acesso em: 25. abr. 2019.

[17] “Para a ONU, porém, a crise está levando a uma aceleração do êxodo de venezuelanos. O alerta foi lançado por Bachelet. “Cerca de 2,3 milhões de pessoas deixaram o país até o dia 1.º de julho, o que representa 7% do total da população”, disse a ex-presidente do Chile. “Esse movimento está se acelerando.”” O GLOBO. Cinco problemas da crise na Venezuela. Disponível em:<https://oglobo.globo.com/mundo/cinco-problemas-da-crise-na-venezuela-21135204>Acesso em: 26. abr. 2019.

[18] MADURO, Nicolás. La Ayuda Humanitaria es un show para humillarnos y pretende justificar una agresión militar; un plan macabro que no oculta el robo por más de $ 10.000 millones que EE.UU. hace a la Patria. Si quieren ayudar, que cesen el bloqueo, la persecución y la agresión contra Venezuela. 08, fevereiro, 2019. Twitter: @nicolasmaduro. Disponível em: / https://twitter.com/nicolasmaduro/status/1093983289952604165/ Acesso em: 30. abr. 2019.

[19] G1. Saiba quais países reconhecem Juan Guaidó como presidente interino da Venezuela e quais rejeitam. 2019. Disponível em:<https://g1.globo.com/mundo/noticia/2019/01/23/saiba-quais-paises-reconhecem-juan-guaido-como-presidente-interino-da-venezuela.ghtml>Acesso em: 30. abr. 2019.

[20] ABDO, Marito. Paraguay expresa su apoyo al presidente encargado de Venezuela @jguaido Cuenten con nosotros para abrazar de nuevo la liberdad y la democracia. 23, janeiro, 2019. Twitter: @maritoabdo. Disponível em: /https://twitter.com/MaritoAbdo/status/1088148368193454081/ Acesso em: 01. mai. 2019.

[21] TRUMP, Donald. The citizens of Venezuela have suffered for too long at the hands of the illegitimate Maduro regime. Today, I have officially recognized the President of the Venezuela National Assembly, Juan Guaido, as the Interim President of Venezuela. 23, janeiro, 2019. Twitter: @realdonaldtrump. Disponível em: / https://twitter.com/realdonaldtrump/status/1088146315979251717/ Acesso em: 01. mai. 2019.

[22] MACRON, Emmanuel. Après l’élection illégitime de Nicolás Maduro en mai 2018, l’Europe soutient la restauration de la démocratie. Je salue le courage des centaines de milliers de Vénézuéliens qui marchent pour leur liberté. 24, janeiro, 2019. Twitter: @emmanuelmacron. Disponível em: / https://twitter.com/emmanuelmacron/status/1088377172325216256/ Acesso em: 01. mai. 2019.

[23]DE GRAZIA, Americo. El #Usurpador toma militarmente #StaElenaDeUairen para impedir la entrada de la #AyudaHumanitaria a los #Vzlanos. No Obstante los publos Indígenas Pemones de #LaGranSabana junto a la Alcaldia y los Ciudadanos, harán realidad la solidaridad. @jguaido President. 20, fevereiro, 2019. Twitter: @americodegrazia. Disponível em: / https://twitter.com/americodegrazia/status/1098363498172727296/ Acesso em: 01. mai. 2019.

[24] TRUDEAU, Justin. Prime Minister Justin Trudeau announces closer collaboration with Japan. 28, abril, 2019. Twitter: @canadianpm. Disponível em: /https://twitter.com/canadianpm/status/1122580450600456192/ Acesso em 01. mai. 2019.

[25] CANADA, Government. #Venezuela: our embassy in #Caracas will be closed on March 26 due to a power outage, but consular services remain available. Canadian can contact us at sos@international.gc.ca or +58 212 600 3099. 26, março, 2019. Twitter: @travelgoc. Disponível em: /https://twitter.com/travelgoc/status/1110573423615451137/ Acesso em: 01. mai. 2019.

 

Imagem Ilustrativa do Post: celular // Foto de: Free-Photos // Sem alterações

Disponível em: https://pixabay.com/pt/photos/telefone-celular-telefone-tela-1245663/

Licença de uso: https://creativecommons.org/publicdomain/mark/2.0/

O texto é de responsabilidade exclusiva do autor, não representando, necessariamente, a opinião ou posicionamento do Empório do Direito.

Sugestões de leitura