Rumores Internos… Entre o Mal-Estar, a Psicanálise e o Direito

Rumores Internos… Entre o Mal-Estar, a Psicanálise e o Direito

Título: Rumores Internos… Entre o Mal-Estar, a Psicanálise e o Direito

Autor: Elisabeth Bittencourt

Código de Barras: 9788594770363

Páginas: 188

Valor: R$ 42,00 + Frete R$ 8,00

ISBN: 978-85-9477-036-3

Esgotado

Rumores Internos…Entre o Mal-Estar, a Psicanálise e o Direito tem sua fonte num rumorejar interno que exige que as letras se façam e a escrita subverta o Desejo. Escritos se materializam servindo de borda para algumas temáticas que tem como mote o Mal Estar, o Direito e a Psicanálise. O mal estar do amor e suas possibilidades inaugura essa sequência, seguido do Mais além do mal estar que decanta o mal estar advindo de uma indignação com a política e com a civilização.

Hanna Arendt traz a banalidade do mal e as impossibilidades do sujeito se apropriar das palavras que bem o diga. Logo depois Berna Reale, artista visual paraense, joga na nossa cara os urubus que voam esperando pelos restos. Fechando esse ítem, A laranja mecânica de Burguess nos interroga sobre a fábula do humano. http://essaywritingtime.com/buy-essay/

O Mal-Estar na tragédia e na literatura traz o arrebatamento de Antígona e o deslumbramento de Marguerite Duras. Seguindo essa inspiração, novamente Antígona, agora apontando os caminhos da procriação artificial nos dias que correm. Por fim, o filósofo Althusser: quais articulações poderiam ser tecidas entre o determinismo absoluto da tragédia grega e a foraclusão na psicose?

Genoveva, uma caboclinha saliente pergunta sobre os desmandos do coração e das dificuldades de manter uma jura de fidelidade no amor. Família, papai, mamãe, titia?, quer saber das mudanças nas famílias contemporâneas.

Por fim, o Direito surge perguntando de que moedas se trata no Mercador de Veneza de Shakespeare? Moedas de ouro ou de carne?

Sobre a servidão voluntária. Me leva que eu vou…quer saber desse embalo que a servidão subjetiva nos leva. Sempre foi assim, aborda a questão de um direito natural que dá permissão aos pais de viverem o incesto com suas filhas. O senhor das moscas de Golding permite perguntar sobre como sobreviver em situações muito precárias. Por último, A desonra de Coetzee me dá a oportunidade de ir atrás das impossibilidades do Direito quando se trata de legislar sobre casos de sedução sexual.

Título: Rumores Internos… Entre o Mal-Estar, a Psicanálise e o Direito

Autor: Elisabeth Bittencourt

Código de Barras: 9788594770363

Páginas: 188

Valor: R$ 42,00 + Frete R$ 8,00

ISBN: 978-85-9477-036-3

ÍNDICE
 
SOBRE OS MEUS ESCRITOS . . . . . . . . . . . . . . . .. . . . . . . . . . . . . . . 9
O MAL ESTAR… NAS ÁGUAS DO AMOR E DA CONJUGALIDADE . . . . . . . . . . . . . . . . 25
O MAIS-ALÉM DO MAL-ESTAR. CANTO DE INDIGNAÇÃO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 33
A BANALIDADE DO MAL: O TEMPO DA TOMADA DA PALAVRA . . . . . . . . . . . . . . . . . 43
NINGUÉM SE CALA DIANTE DE “QUANDO TODOSCALAM” DE BERNA REALE OU “TUDO AGORA MESMO PODE ESTAR POR UM SEGUNDO…” . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 51
A FÁBULA DO HUMANO. A LARANJA MECÂNICA . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 59
LITERATURA E TRAGÉDIA: O ARREBATAMENTO. ANTÍGONA E LOL V. STEIN . . . . . . . . . . 71
DAS VIAS TRÁGICAS DE ANTÍGONA ATÉ OS DIAS QUE
CORREM… DA PROCRIAÇÃO ARTIFICIAL . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 83
A MORTE ENQUANTO ATO TRÁGICO: ESTILO QUE SE
AUTORIZA DE SI MESMO? O CASO ALTHUSSER . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 95
DOS COSTUMES: A LEI e a lei
GENOVEVA, UMA CABOCLINHA SALIENTE? NEM TANTO . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 113
FAMÍLIA: PAPAI, MAMÃE, TITIA? . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 123
PSICANÁLISE E DIREITO: O QUE SE PAGA COM MOEDAS DE CARNE? . . . . . . . . . . . . . 135
SOBRE A SERVIDÃO VOLUNTÁRIA. ME LEVA QUE EU VOU . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 145
SEMPRE FOI ASSIM… A LEI DO DESEJO: O INCESTO E A PEDOFILIA . . . . . . . . . . . . 155
FAZ DE CONTA QUE… SOBRE O SENHOR DAS MOSCAS . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 167
O REINO DO ENTRE OU AQUILO QUE INSISTE EM NÃO SE DIZER, MAS QUE O DIREITO CARECE DE LEGISLAR.
SOBRE A DESONRA DE COETZEE . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . . 179