Corrupção como Política de Estado Falência do Projeto LuloPetista de Poder

Corrupção como Política de Estado Falência do Projeto LuloPetista de Poder

Título: CORRUPÇÃO COMO POLÍTICA DE ESTADO FALÊNCIA DO PROJETO LULOPETISTA DE PODER

Autor: Léo Rosa de Andrade e Luiz Flávio Gomes

Código de Barras: 9788594770240

Páginas: 254

Valor: R$ 42,00 + Frete R$ 9,00

ISBN: 978-85-9477-024-0

ESGOTADO

Não importa quem governe, deve-se desconfiar metodicamente do governante. A intelligentzia brasileira foi condescendente com o lulopetismo. O lulopetismo passou-se por demais dos limites conformadores do poder.

Criticar governos petistas é contribuir com o conservadorismo?
Os autores consideram que ser conservador é fazer demagogia, mentir, roubar, trair. É fazer em nome do novo o que sempre foi feito pela direita reacionária.Transparência, exatidão das propostas de campanha, compromisso de realizar o discurso, não são concessões. São compromisso cívico, republicano. A honestidade, no Brasil, é postura revolucionária.

Os governos Lula não inventaram a corrupção, mas a fizeram método de governo e política de Estado. O Mensalão mostrou a compra metódica de congressistas. A Lava Jato explicitou uma quadrilha organizada.

O lulopetismo foi deteriorando o Brasil ajustado pelo Plano Real até que ao fim do seu terceiro mandato entregou-se ao populismo barato. Depois Dilma, para permanecer na Presidência, sem remorsos, quebrou a Pátria.

Mesmo com nomes, documentos e contas trazidos à vista, cinicamente certa esquerda nega os fatos e insiste numa conspiração conservadora contra o PT. É pretexto de uma esquerda de direita caudatária do poder.

Título: CORRUPÇÃO COMO POLÍTICA DE ESTADO FALÊNCIA DO PROJETO LULOPETISTA DE PODER

Autor: Léo Rosa de Andrade e Luiz Flávio Gomes

Código de Barras: 9788594770240

Páginas: 254

Valor: R$ 42,00 + Frete R$ 9,00

ISBN: 978-85-9477-024-0

ÍNDICE
 

APRESENTAÇÃO ………………..……………………………………………………………….. 9

PARTE 1

Léo Rosa de Andrade

CAPÍTULO 1

ESQUERDA, APARELHAMENTO DO ESTADO, CORRUPÇÃO ……………….………………………………………………………………..15

CAPÍTULO 2

MENSALÃO, REPÚBLICA, SISTEMA ……………….………………………………………………………………..19

CAPÍTULO 3

O MODO PETISTA DE CORRUPÇÃO ………………..……………………………………………………………….. 23

CAPÍTULO 4

QUE APRENDEMOS COM O MENSALÃO? ………………..……………………………………………………………….. 27

CAPÍTULO 5

A CORRUPÇÃO COMO RECURSO PARA O SISTEMA ……………….………………………………………………………………… 31

CAPÍTULO 6

CORRUPTO É O OUTRO ……………….………………………………………………………………..35

CAPÍTULO 7

JURISTAS, UMA COISA É UMA COISA, OUTRA COISA É OUTRA COISA ………………..……………………………………………………………….. 39

CAPÍTULO 8

POLÍTICA NOS TRIBUNAIS, TRIBUNAIS NA POLÍTICA ………………..……………………………………………………………….. 43

CAPÍTULO 9

CORRUPÇÃO POR CONDESCENDÊNCIA INTELECTUAL ……………….………………………………………………………………..47

CAPÍTULO 10

QUE DESSES MALES NOS VENHA UM BEM ……………….………………………………………………………………..51

CAPÍTULO 11

MAIS IGUAIS DO QUE OS OUTROS ……………….………………………………………………………………..55

CAPÍTULO 12

SOBRE SER INOCENTE ……………….………………………………………………………………..59

CAPÍTULO 13

CORRUPÇÃO DE ESTADO, VAGABUNDAS CONCERTAÇÕES ……………….………………………………………………………………..63

CAPÍTULO 14

CORRUPÇÃO, UM MODO DE INTERMEDIAR INTERESSES ………………..……………………………………………………………….. 67

CAPÍTULO 15

A MITIGAÇÃO DA PRESUNÇÃO DE INOCÊNCIA ………………..……………………………………………………………….. 71

CAPÍTULO 16

MORO, MAGISTRADO MAGISTRÁTICO ……………….………………………………………………………………..75

CAPÍTULO 17

LULA NÃO SERÁ MACUNAÍMA ………………..……………………………………………………………….. 79

CAPÍTULO 18

ÔNIBUS, ORDEM E PROGRESSO ……………….………………………………………………………………..83

CAPÍTULO 19

ONDE ESTÁ O IMPEACHMENT? ………………..……………………………………………………………….. 87

CAPÍTULO 20

POLÍTICA: ESTRUTURAS DE DOMINAÇÃO ……………….………………………………………………………………..91

CAPÍTULO 21

POSIÇÕES DA OAB, CONTRADIÇÃO, O LÍDER DE DILMA . . . . . . .95

CAPÍTULO 22

RENAN, SOU CONTRA, MAS…  ……………….……………………………………………………………….. 99

CAPÍTULO 23

A ASSESSORA DA PRESIDÊNCIA ……………….………………………………………………………………..103

CAPÍTULO 24

THE ECONOMIST, MORO, LADROAGEM LULOPETISTA ……………….………………………………………………………………..107

CAPÍTULO 25

HAVERÁ DINHEIRO PARA CORRUPÇÃO ELEITORAL ……………….………………………………………………………………… 111

CAPÍTULO 26

CUNHA É SEQUELA DO EXTRAVIO MORAL PETISTA ……………….………………………………………………………………..115

CAPÍTULO 27

CHARLES, ANJO 45, CONTROLADOR DO BRASIL ………………..……………………………………………………………….. 119

CAPÍTULO 28

NADA SERÁ COMO ANTES AMANHÃ? ………………..……………………………………………………………….. 123

CAPÍTULO 29

MENOS PESSOALIDADE, MAIS INSTITUIÇÃO ……………….………………………………………………………………..127

CAPÍTULO 30

AS FRANQUIAS DO DIREITO, OS PRETEXTOS LULOPETISTAS, OS HERÓIS ………………..……………………………………………………………….. 131

CAPÍTULO 31

DEMOCRACIA: O OUTRO NÃO DUPLO DE MIM ………………..……………………………………………………………….. 135

CAPÍTULO 32

AS (NOSSAS) VIOLÊNCIAS DOS OUTROS ………………..……………………………………………………………….. 139

CAPÍTULO 33

NÃO, NUNCA É TARDE PARA FAZÊ-LO. ………………..……………………………………………………………….. 143

CAPÍTULO 34

OU ENTÃO SOMOS TODOS LADRÕES ………………..……………………………………………………………….. 147

CAPÍTULO 35

RAZÕES ÉTICAS PARA ROUBAR ………………..……………………………………………………………….. 151

CAPÍTULO 36

NOSSA ESQUERDA É DE DIREITA, MENTE E ROUBA ……………….………………………………………………………………..155

CAPÍTULO 37

A GRANDE E INVISÍVEL CORRUPÇÃO ……………….………………………………………………………………..159

CAPÍTULO 38

SUSPEIÇÃO GERAL ………………..……………………………………………………………….. 163

CAPÍTULO 39

NÃO ROUBAR, NÃO DEIXAR ROUBAR ………………..………………………………………………………………..167

PARTE 2 – ESTADO LICENCIOSO

Luiz Flávio Gomes

CAPÍTULO 1

QUE SE ENTENDE POR ESTADO LICENCIOSO? ……………….………………………………………………………………..173

CAPÍTULO 2

A LEI DE FERRO DAS OLIGARQUIAS ……………….………………………………………………………………..179

CAPÍTULO 3

COMO DEVERIA SER: ESTADO CONSTITUCIONAL E DEMOCRÁTICO DE DIREITO ……………….………………………………………………………………..183

CAPÍTULO 4

COMO É, COMO FUNCIONA: FORMAS DEGENERADAS DE

DEMOCRACIA ………………..……………………………………………………………….. 189

4.1.   O poder do dinheiro (das plutocracias) ………………..………………………………………………………………..189

4.2.   Demagogia, populismo e oclocracia ……………….………………………………………………………………..193

4.3.   Cleptocracia ……………….………………………………………………………………..193

4.4.   Tirania (absolutismo, autoritarismo e totalitarismo) ………………..……………………………………………………………….. 195

4.5.   Anomia e anaxia ………………..……………………………………………………………….. 196

4.6.   A (in)dependência dos juízes ………………..……………………………………………………………….. 200

CAPÍTULO 5

OPERAÇÃO LAVA JATO: ENTRE O SONHO DO “DEVER

SER” E O “SER” ………………..……………………………………………………………….. 205

5.1.   A Lava Jato como inovação destrutiva ou destruição criadora

(Schumpeter) ………………..……………………………………………………………….. 205

5.2.   Reação do STF ao Estado licencioso: os “pontos fora da curva” ……………….………………………………………………………………..213

5.2.1. Prisão em flagrante (preventiva) do senador Delcídio ……………….………………………………………………………………..213

5.2.2.        Execução imediata da pena (depois do segundo grau de jurisdição) ……………….………………………………………………………………..217

5.2.3.        Afastamento do deputado Eduardo Cunha ……………….………………………………………………………………..221

5.3.   Limites dos juízes ………………..……………………………………………………………….. 224

CAPÍTULO 6

FATORES PSICOLÓGICOS DA CORRUPÇÃO (E DO ESTADO

LICENCIOSO) ……………….………………………………………………………………..229

6.1.   Complexo de inferioridade ………………..……………………………………………………………….. 229

6.2.   Crise de identidade nacional ……………….………………………………………………………………..231

6.3.   Arquétipos parentais ………………..……………………………………………………………….. 233

6.4.   Arquétipo do pai-bandido ……………….………………………………………………………………..235

6.5.   Busca por salvadores da pátria ………………..……………………………………………………………….. 235

6.6.   Democracia frágil, malandragem e “puer aeternus” ………………..……………………………………………………………….. 236

CAPÍTULO 7

A CRISE É PROFUNDA: OPORTUNIDADE HISTÓRICA PARA

MUDANÇAS ……………….………………………………………………………………..241

7.1.   O caminho da continuidade ………………..……………………………………………………………….. 241

7.2.   Política “dos panos quentes”? ……………….………………………………………………………………..242

7.3.   Crise histórica ……………….……………………………………………………………….. 243

CAPÍTULO 8

“BIG BANG THEORY” (BREVE MANUAL DE COMBATE À

CORRUP$$ÃO) ……………….………………………………………………………………..247