Campanha da Fraternidade 2017 – Por João Baptista Herkenhoff

Campanha da Fraternidade 2017 – Por João Baptista Herkenhoff

Por João Baptista Herkenhoff – 18/03/2017

A imposição das cinzas, na fronte dos fiéis, marca o início da Quaresma.

O ritual das cinzas assusta algumas pessoas. O celebrante, fazendo uma cruz, coloca partículas das cinzas na testa dos fiéis, que se postam em fila. Não são as cinzas que causam arrepio, mas a frase fúnebre, pronunciada em tom soleníssimo:

“Memento homo, quia pulvis es, et in pulverem reverteris.” (Lembra-te, homem, de que és pó e em pó te hás de tornar).

Algumas Igrejas Cristãs, que guardam a Quaresma, não adotam o ritual das Cinzas, uma tradição que leva milhões de pessoas às igrejas, pelo mundo afora.

Nestes tempos de Ecumenismo, de um Papa profundamente ecumênico, todos os cristãos devem dar as mãos para construir um mundo mais humano. O Cristo pediu a unidade, o Cristo quer a unidade, o Cristo é a unidade.

Para além do domínio cristão, creio que celebram a memória do Crucificado, mesmo sem pronunciar Seu Santo Nome (Mateus, 7, 21), todos aqueles que abominam as exclusões e as discriminações, todos que lutam para construir um mundo de Fraternidade.

A Igreja Católica e outras Igrejas Cristãs (Luterana, Presbiteriana, Anglicana) celebram, durante o tempo da Quaresma, a Campanha da Fraternidade.

Um tema é escolhido para a campanha e uma frase serve de mote para inspirar a reflexão dos fiéis.

Neste ano o tema escolhido foi este: Biomas brasileiros e defesa da vida. O lema, a partir do tema, é: Cultivar e guardar a criação.

Bioma é o conjunto dos seres vivos de uma área. É entendido também como o conjunto de ecossistemas terrestres. O bioma é uma comunidade de plantas e animais, geralmente de uma mesma formação.

Os principais biomas brasileiros são: Amazônia, Cerrado, Mata Atlântica, Pampas, Caatinga e Pantanal.

Nosso Estado (Espírito Santo) integra a Mata Atlântica.

A Mata Atlântica está sendo violentada por: extração irracional de madeira, industrialização anárquica, comércio ilegal de plantas e animais nativos, exportação ilegal de material genético, fragmentação das áreas preservadas.

Na encíclica Laudato si (Louvado sejas), doutrina o Papa Francisco:

“O cuidado dos ecossistemas requer uma perspectiva que se estenda para além do imediato, porque, quando se busca apenas um ganho econômico rápido e fácil, já ninguém se importa realmente com a sua preservação”.

Tentemos interiorizar os versos do hino da Campanha da Fraternidade de 2017:

Que entre nós cresça uma nova ecologia,
onde a pessoa, a natureza, a vida, enfim,
possam cantar na mais perfeita sinfonia
ao Criador que faz da terra o seu jardim.


João Baptista HerkenhoffJoão Baptista Herkenhoff é magistrado aposentado (ES), professor e escritor. Mestre em Direito pela Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro e livre docência na UFES. Pós doutorado em Wisconsin e na Universidade de Roue.
E-mail: jbpherkenhoff@gmail.com
CV Lattes: http://lattes.cnpq.br/2197242784380520       
Site: www.palestrantededireito.com.br


Imagem Ilustrativa do Post: Costa Verde // Foto de: Henrique Ferreira // Sem alterações

Disponível em: https://www.flickr.com/photos/rick_ferreira/16204762546

Licença de uso: http://creativecommons.org/licenses/by/4.0/legalcode


O texto é de responsabilidade exclusiva do autor, não representando, necessariamente, a opinião ou posicionamento do Empório do Direito.