A vez da sustentabilidade – Por Antonio Marcos Gavazzoni

A vez da sustentabilidade – Por Antonio Marcos Gavazzoni

Por Antonio Marcos Gavazzoni – 03/04/2016

Palavra da moda, sustentabilidade é uma das expressões mais articuladas na atualidade e aparece em variados discursos, passando pela defesa do meio ambiente as críticas a cultura do desperdício.  O que nem sempre é levado em consideração é que a sustentabilidade não abrange apenas a natureza. Vai além. Trata-se de uma cosmovisão contemporânea que considera o planeta um sistema de inter-relações da humanidade entre si e com o meio.

A relação economia-sujeitos-natureza é complexa. Satisfazer nossas necessidades mantendo as perspectivas de futuro das outras gerações deveria se traduzir em construir, nutrir e educar comunidades sustentáveis. Não faltam estudiosos e mobilizações espalhadas pelo globo com o objetivo de desenvolver o modelo ideal. O que já se sabe é que as tentativas, inevitavelmente, envolvem a administração pública e a regulação das atividades econômicas em sociedade. E o Estado tem de participar. A governança pública, pensada a partir da lógica da sustentabilidade, pode ser explorada em nível especulativo e prático.

Não é preciso ir muito longe para compreender que o caminho para a sustentabilidade e a preservação da humanidade é um só e depende do equilíbrio econômico, ecológico e social. E essa deve ser a obrigação dos governantes em todos os níveis.  Já não se trata mais de uma ameaça às gerações futuras. Os efeitos devastadores do desequilíbrio social, econômico e ambiental estão sendo sentidos aqui e agora. Muito mais do que discursos e declaração de princípios, é preciso ultrapassar o nível da retórica e promover uma ruptura nos relacionamentos, no modo de operar, pensar, aceitando que os recursos naturais devem ser preservados, que os negócios devem incluir os pobres e miseráveis, e que a ética pode trazer ganhos econômicos. Somente com uma mudança profunda na mentalidade e nas atitudes poderemos encontrar maneiras de incorporar as práticas sustentáveis e obter resultados rápidos e significativos. Já perdemos muito tempo. É hora de agir.


Antonio Marcos GavazzoniAntonio Marcos Gavazzoni é formado em Direito pela Universidade do Oeste de Santa Catarina (UNOESC), mestre e doutor em Direito Público pela Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). Foi Procurador Geral do Município de Chapecó e professor na UNOESC, na Escola Superior da Magistratura de Santa Catarina e na UNOPAR. Em janeiro de 2015 assumiu pela terceira vez a Secretaria de Estado da Fazenda do Estado de Santa Catarina, cargo que ocupa até o momento. Email: contatogavazzoni@gmail.com 


Imagem Ilustrativa do Post: Cangas de Onís // Foto de: Eleazar // Sem alterações

Disponível em: https://www.flickr.com/photos/imagineitall/20677599235

Licença de uso: http://creativecommons.org/licenses/by/4.0/legalcode


O texto é de responsabilidade exclusiva dos autores, não representando, necessariamente, a opinião ou posicionamento do Empório do Direito.